SEARCH

07. Quais são os pilares dos ensinamentos rosacruzes do Lectorium Rosicrucianum?

Segundo o ponto de vista rosacruz, há um mundo mais elevado que transcende o mundo físico: é o mundo da vida imortal. Comsequentemente, os rosacruzes falam de duas ordens de natureza. O mundo mortal é composto por duas esferas: a esfera em que vivemos e o “além”, o mundo dos mortos. Esse mundo mortal contrasta com o mundo divino, que é o mundo da perfeição e da vida eterna. Trata-se de um campo onde existem seres mais elevados: foi o lar da humanidade antes de sua descida ao mundo material. A ordem de natureza divina não está em outro planeta – ela existe no mesmo espaço deste mundo, mas em um nível de vibração diferente.

Segundo o ponto de vista rosacruz, o homem é um ser dual. O homem mortal nasce no mundo material. Ele carrega uma centelha do Espírito imortal: a “Rosa do Coração”, que provém da natureza mais elevada. Nessa centelha do Espírito cintila a idéia e a estrutura do ser original, do ser humano perfeito que nela está contido como em uma semente. O campo de energia que fica em volta desse centro espiritual – e que também envolve itneiramente o homem material – é chamado de “microcosmo”.

Portanto, o homem tem como missão de vida despertar sua alma contida na divina centelha do Espírito e restaurar o contato entre a alma e sua dimensão espiritual. Esse processo se dá pela força crística. A Bíblia chama esse processo de “nascer de novo da água e do Espírito” (João 3:5). Os rosacruzes falam sobre a grande metamorfose do homem – a “Transfiguração” – e sugerem a fusão da alma com o Espírito original, como em um “Casamento Alquímico”. Por meio dessa iniciação cristã o ser humano pode partilhar novamente da natureza da vida perfeita.